O que é a ferramenta e quais são os pilares do TPM?

Powered by Rock Convert

Para resguardar os equipamentos e ativos gerais da organização, uma ótima medida é apostar na manutenção preventiva realizada de forma rotineira. Dessa maneira, é possível otimizar a produção com menos interrupções no fluxo de trabalho. Neste post, vamos entender como os pilares do TPM podem ajudar nesse objetivo.

Um dos métodos mais populares de estruturação da rotina de manutenção é o chamado TPM (Manutenção Produtiva Total). Esse modelo busca eliminar as falhas inesperadas e a ocorrência de acidentes, por exemplo. Vamos, agora, conhecer mais sobre esse método e todos os seus pilares. Boa leitura!

O que é TPM?

TPM (Manutenção Produtiva Total) é uma abordagem geral aplicada à manutenção de equipamentos com a intenção de buscar a produção e os reparos perfeitos para os ativos da organização.

Para isso, o TPM enfatiza dois tipos principais de manutenção: preventivo e proativo, destinados a maximizar a eficiência operacional dos equipamentos. Assim, podemos dizer que essa abordagem empodera os operadores a operar ativamente na conservação adequada das máquinas.

A implantação efetiva de um programa de TPM é essencial para compartilhar as responsabilidades. Isso ajuda também na integração entre os colaboradores, que podem se juntar para discutir as melhores opções de manutenção efetiva.

Ela é especialmente importante no chão de fábrica — ou Gemba, se utilizarmos o termo em japonês que designa o lugar onde as coisas realmente acontecem nas fábricas. No ambiente adequado, o TPM aumentará a produtividade, reduzirá os tempos de entrega e combaterá as deficiências.

Quais são os seus pilares do tpm?

São oito os pilares que sustentam a Manutenção Produtiva Total. Vamos conhecer cada um deles a seguir!

Manutenção autônoma

Trata-se da estruturação do sistema para conduzir a manutenção autônoma pelos operadores. Esse pilar delega as responsabilidades relacionadas a operações rotineiras, como limpeza, lubrificação e inspeção devida, a eles.

Manutenção planejada

Aqui, temos a estruturação de um plano mais robusto de manutenção, destinado a programar reparos baseados em taxas bem estabelecidas de falhas previstas ou medidas.

Melhoria específica (ou focada)

Aqui, a ideia é incorporar melhorias específicas nos equipamentos. Assim, problemas recorrentes são identificados e resolvidos por equipes multifuncionais.

Educação e treinamento

Estão relacionadas à capacitação técnica e à busca de melhorias, concentradas tanto na área de produção quanto na de manutenção.

Manutenção da qualidade

Esse pilar trata do gerenciamento continuado dos equipamentos com o objetivo de garantir a qualidade geral do produto oferecido e reduzir o retrabalho. Além disso, opera com projetos de melhoria para remover deficiências de raiz.

Controle inicial do equipamento

Esse pilar tem como objetivo prever a necessidade de manutenção. Além disso, há uma preocupação com a melhoria do design de novos equipamentos — justamente para evitar deficiências já identificadas.

Áreas administrativas

Têm como objetivo principal a diminuição de perdas envolvendo o processo administrativo como um todo.

Segurança, saúde e meio ambiente

É a análise dos impactos do processo de produção na saúde e segurança das pessoas e no meio ambiente.

Quais são os benefícios da implantação?

O principal objetivo do TPM é garantir que os trabalhos sejam exercidos da forma como foram projetados no início dos projetos, evitando paralisações e quebras de rotina. Dessa maneira, é possível contar com um nível elevado e contínuo de produtividade.

Outro diferencial significativo é a melhoria na qualidade do produto final, já que as paradas serão minimizadas. Além desses benefícios, podemos citar diversos outros pontos positivos com a implantação bem-sucedida do TPM. São eles:

  • aumento da vida útil dos equipamentos;
  • redução de custos já em curto prazo;
  • respeito aos períodos estabelecidos para entrega, decorrente do menor número de paralisações;
  • mentalidade preventiva agregada à cultura organizacional da empresa;
  • programação mais precisa de paradas, em horários mais adequados.

Agora que você já conhece os pilares do TPM e a Manutenção Produtiva Total, já pode buscar meios de implantar esse modelo na sua empresa e otimizar toda a sua rotina empresarial. Há um motivo pelo qual essa metodologia é aplicada com regularidade desde a década de 1970, saindo do Japão para o mundo: sua eficiência comprovada.

Gostou do post e quer saber mais sobre modelos especiais para incrementar suas operações? Então, leia agora mesmo o nosso artigo sobre metodologia lean na empresa!

Rodrigo Cavallari

Sobre Rodrigo Cavallari

Desenvolvedor de software, trabalha com Desenvolvimento há 3 anos e respira programação.

2 thoughts on “O que é a ferramenta e quais são os pilares do TPM?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *